Apelidos na ópera

Cantores e cantoras excelentes existem muitos. Mas, na minha opinião, quando um deles ganha um apelido, quer dizer que ele ou ela conquistou algo mais. Parece só um apelido. Mas, elogiosos ou pejorativos, indicam uma distinção, um carinho especial do público, uma entrada para o hall-da-fama-dos-maiores-cantores-de-todos-os-tempos ou, simplesmente, que não passaram despercebidos pela história do canto lírico.

Vejamos, pelos cantores da listinha que fiz abaixo. São ou não são dos melhores do mundo?

Maria Callas = La Divina
Joan Sutherland = La Stupenda
Angela Georghiu = La Cancellosa (devido aos seus costumeiros cancelamentos)
Franco Bonisolli = Il Pazzo (O Louco, por causa de sua personalidade excêntrica)
Giuseppe Di Stefano = Pippo
Montserrat Caballé = La Superba
Beverly Sills = Bubbles
Piero Cappuccilli = Principe dei Baritoni
Leyla Gencer = La Sultana (ela era turca)
Dolores Varga = La Terremoto
Carlo Bergonzi = Il Catedrático
Titta Ruffo = La Voce del Leone
Mattia Battistini = Re dei Baritoni, Baritono dei Re
Renata Tebaldi = Miss No Tickets (porque os ingressos sempre se esgotavam no Metropolitan)
Torsten Kerl = La Cotorra (porque falava até ficar sem voz, tendo que cancelar eventos)
Jussi Björling = Il Caruso Sueco
Bidu Sayão = La Piccola Brasiliana

Anúncios