Hänsel und Gretel ou Francesca?

Vou tirar férias em agosto. Mês de descanso para o pessoal da ópera em várias partes do mundo. Felizmente, onde estarei alguns dias, terei duas oportunidades de assistir a belos espetáculos.

E aí vem a dúvida: preciso escolher entre ver Hänsel und Gretel no Festival de Glyndebourne, ou Francesca da Rimini, no Opera Holland Park, em Londres.

Hänsel und Gretel conta a conhecida história de João e Maria. Foi composta entre 1891 e 1892 pelo compositor alemão Engelbert Humperdinck, e teve sua estréia regida por ninguém menos que Richard Strauss. Imagino que terá uma produção rica e colorida, que juntamente com os temas inspirados em música folclórica, vão criar o clima mágico perfeito.

O tradicional Festival de Glyndebourne por si é um espetáculo, uma viagem no tempo. Lá, o costume é ir de vestido de festa, desde os curtos até os black ties. E é comum ver pessoas chiquérrimas, durante do intervalo da ópera, fazendo pic nics ao fim da tarde nos jardins ao redor do auditório, com direito a champanhe, canapés e comidinhas deliciosas. Apesar desse clima de ostentação, tudo isso quase que recria o clima da ópera em seus áureos tempos. Deve ser uma experiência inesquecível!!

Já Francesca da Rimini é uma ópera do italiano Riccardo Zandonai, estreada em 1914. Uma das mais completas óperas italianas do século XX, conta a história dessa nobre medieval que também foi retratada por Dante Alighieri em sua Divina Comédia. O papel de Francesca já foi interpretado por nomes como Magda Olivero e Renata Scotto. Será encenada no Opera Holland Park, sob tendas nos jardins, também com direito a pic nics!!

Sim, é uma dúvida, mas não cruel: qualquer uma das escolhas promete um fim de tarde de entrar para a minha história!! E, claro, comentários em setembro.

Abaixo, trechos de ambas as óperas.


Hänsel und Gretel


Francesca da Rimini

Juan Pons no Theatro São Pedro

Conforme adiantado no início do ano, hoje tem Juan Pons no Theatro São Pedro, na abertura do Projeto Grandes Vozes 2010, da APAA.

Abertura em grande estilo, diga-se de passagem. O grande cantor lírico espanhol é um dos maiores barítonos dramáticos da atualidade. Será acompanhado ao piano por sua filha, Joana Pons.

Programa

1ª parte:
Ciclo “ES DARRER VIATGE” (Música- Antoni Parera Fons, Lletra – Gillem d Efak)

1- Fou una Profecia
2- A vela plena
3- Amics , germans
4- Anam allà on anam

Se equivocó la paloma (Carlos Gustavino)

Canción al árbol del olvido (A.Ginastera)

Pueblito mi pueblo (Carlos Guastavino)

Dança nº 5 ANDALUZA (Enrique Granados) Piano solo.

Cançó d Amor i de Guerra: Les Neus de les muntanyes. (R.Martínez Valls)

La del Soto del Parral: Y a mis horas felices (R.Soutullo)

2ª parte
Ciclo Francesco Paolo Tosti

Malia

Vorrei Morire

Non t amo piú

Intermezzo de la Opera CAVALLERIA RUSTICANA (P.Mascagni) Piano solo

Cortigiani, vil razza.Aria de Rigoletto (G.Verd)

L Onore (G.Verdi)

Nemico della patria. Aria de Andrea Chénier. (U.Giordano)

Quando:
14/06
(segunda-feira), 21h00

Onde:
Theatro São Pedro
Rua Barra Funda, 171 – Barra Funda
São Paulo – SP
Ingressos: ENTRADA FRANCA
Informações: (11) 3667-0499 (de quarta a domingo, das 14h até 19h)
Bilheteria: qua a dom, 14h às 19h ou até o início do espetáculo
http://www.ingressorapido.com.br

Feliz aniversário, Schumann!!

Já faz mais de um mês que não escrevo (uia!!). Depois de um tempo de muito trabalho, aqui estou eu de volta ao blog, com um post especial: hoje faz 200 anos que nasceu o grande compositor e pianista Robert Schumann, na Alemanha.

Para homenageá-lo, estou colocando um trecho da única ópera escrita por Schumann: Genoveva. Com libreto dele próprio e de Robert Reinick, estrou em 25 de junho de 1850 no Stadttheater, em Leipzig.